top of page

Fadiga em Doenças Inflamatórias Intestinais


Como já é conhecido por profissionais da área, algumas condições são subdiagnosticadas, por falta de conhecimento, ou no caso da fadiga, falta de reconhecimento. A fadiga é um sintoma banalizado, que é muitas vezes confundido entre cansaço e preguiça. Entre pacientes com Doenças Inflamatórias Intestinais (DIIs), a fadiga é um sintoma comum, e que pode ser causada por anemia, uso de medicamentos, doença em atividade, sintomas psicossomáticos e eixo intestino-cérebro.


A fadiga trata-se de uma falta de energia e exaustão, que não melhora com o descanso, e que impede o paciente de realizar atividades simples do dia, impactando assim sua qualidade de vida. Esse sintoma é mais comum em pacientes com Doença de Crohn, e proporcional à severidade da doença, ou seja, quanto mais ativa, mais fadiga. Associado, o presenteísmo, sintoma que a pessoa não consegue produzir em seu ambiente de trabalho, estando presente, porém pensando em outros assuntos, que não sua responsabilidade, é outro sintoma presente em pacientes com DIIs.


Algumas suposições são feitas quanto à relação entre as DIIs e a fadiga, uma delas é pela inflamação, que causa um maior catabolismo e maior gasto energético em descanso, que contribui para a fadiga. Para lidar com esse sintoma, é preciso entender qual sua causa. Fadiga com anemia pede por um acompanhamento de marcadores de exames como ferritina, ácido fólico e vitamina B12, tratamento que pode ser realizado em conjunto com um Hematologista.


O paciente com DII pode estar com deficiência de outros macro e micronutrientes, pela má absorção, diarréia ou restrições alimentares, nutrientes estes que devem ser pesquisados em exames e se necessário, repostos. É menos comum, mas a relação da fadiga com medicamento pode acontecer, como em pacientes que usam medicamentos imunossupressores, ou até medicamentos antidepressivos, que costumam ter a sonolência como efeito colateral.


A fadiga é uma realidade entre os sintomas de pacientes com DIIs, além dos sintomas já conhecidos das doenças e que já são prejudiciais para sua qualidade de vida. Para ajudar o paciente, é preciso acessar e levar em consideração todas as queixas feitas em uma anamnese minuciosa, e então fazer as adequações em vista de melhorar sua qualidade de vida.


Ref:

Nocerino A, Nguyen A, Agrawal M, Mone A, Lakhani K, Swaminath A. Fatigue in Inflammatory Bowel Diseases: Etiologies and Management. Adv Ther. 2020 Jan;37(1):97-112. doi: 10.1007/s12325-019-01151-w. Epub 2019 Nov 23. PMID: 31760611; PMCID: PMC6979464.



Comments


bottom of page