3 chás que ajudam na digestão: espinheira santa, gengibre e alecrim.



Desde centenas de séculos passados os chás são utilizados como verdadeiros medicamentos para tratar as mais diversas doenças, pois eles são riquíssimos em antioxidantes, minerais e propriedades estimulantes, diuréticas, expectorantes, calmante, digestivas, entre outras. Outro ponto significativo do uso dessas bebidas se refere a baixa quantidade calórica e o aumento da ingestão de água.


Atualmente o número de pessoas com problemas digestivos tem aumentado muito e isso pode estar relacionado aos tipos de alimentos presentes na dieta, falta de tempo para realizar as refeições, mastigação inadequada, alterações no sistema digestório etc. os sintomas provocados por essa dificuldade são muito incômodos e dentre eles estão incluídos a sensação de estufamento, flatulência, constipação, náusea, azia, dores abdominais e saciedade precoce.


Os tratamentos para auxiliar os pacientes com má digestão podem ser diversos, visto que existem várias causas para essa alteração. Porém, os chás de espinheira santa, gengibre e alecrim tem se mostrado grandes aliados contra essa dificuldade digestiva.


O chá de espinheira santa (Maytenus Ilicifolia) é um ótimo aliado contra a má digestão pois possui propriedades que auxiliam no processo digestivo, na redução dos sintomas intestinais. Ela também apresenta em sua composição agentes anti-inflamatórios, boa quantidade de vitamina C, taninos e flavonoides. Essa erva de uso medicinal é muito antiga e popularmente utilizada no Brasil e no mundo. Além disso, estudos apontam que seu uso se estende ao tratamento da doença gota, constipação, gastrites, úlceras gástricas e duodenais; refluxo, azia, inflamação estomacal, asma, reumatismo, irritabilidade ocular e doenças respiratórias. No entanto, a literatura ainda não demonstra os efeitos do seu uso por gestantes e lactantes, devendo ser evitada por esse público.


O Gengibre ou Zingiber officinale é um alimento que possui uma composição excelente contendo compostos fenólicos, esteróides, flavonóides, triterpenóides, glicosídeos, taninos, saponinas, proteínas, carboidratos, aminoácidos e proteínas. o chá de gengibre é utilizado não somente para tratar a má digestão, mas também para náuseas, vômito, sangramento nasal, reumatismo, tosse, cólera, diarréia e dor de estômago. Ainda, a literatura comenta que esse componente possui propriedades como analgésico, anti-helmíntico, antiartrítico, anticâncer, antidiabético, anti-hipertensivo, antimicrobiano e antioxidante.


O alecrim (rosmarinus officinalis L.) é uma erva rica em minerais compostos fenólicos tais como cálcio, magnésio, fósforo, potássio, sódio, flavonóides, ácidos fenólicos, terpenos fenólicos, glicosídeos fenólicos e lignanos. O seu chá é muito utilizado para reduzir sintomas de azia e flatulência, mas além disso ele ajuda no processo digestivo minimizando o quadro de má digestão, possui poder anti-inflamatório e antibacteriano, combate ao estresse e melhora as funções cognitivas. Estudos apontam que o alecrim contém efeitos significativos em relação a melhora da circulação do couro cabeludo e crescimento capilar.


A alimentação recomendada para os pacientes com má digestão deve conter alimentos de fácil digestibilidade, que não sejam irritantes estomacais e não aumentem a produção de gases, devendo ser evitados os industrializados, embutidos, algumas leguminosas como o feijão, alimentos fonte de gorduras saturadas, vegetais folhosos e ovos. Assim como a não ou menor ingestão de líquidos durante as refeições, para que não contenha grande volume de alimentos no estômago, que poderão levar a alteração do período de digestão e aumentar os sintomas indesejáveis.


Referências:

ANJOS, T. D. (2019). Análise farmacognóstica da droga vegetal: espinheira-santa (Maytenus ilicifolia).

de Abreu, C. G., da Penha, D. S., dos Santos, D. D. J. N., dos Santos, G. S., de Lima Barbosa, J., de Souza, J. M., ... & Coutinho, V. A. M. (2019). Autenticação da droga vegetal Maytenus Ilicifolia-espinheira santa. Revista Remecs-Revista Multidisciplinar de Estudos Científicos em Saúde, 63.

Poddar, S., Sarkar, T., Choudhury, S., Chatterjee, S., & Ghosh, P. (2020). Indian traditional medicinal plants: A concise review. International Journal of Botany Studies, 5(5), 174-190.