Você tem muitos gases? Cuidado, isso pode ser SIBO!


O supercrescimento bacteriano do intestino delgado (SIBO) é conceituado como uma condição onde existe um elevado número de bactérias comensais presentes no intestino delgado. Esta condição é uma causa bem reconhecida da má digestão e má absorção. Diante disso, os resíduos da digestão e absorção deficientes favorecem o processo fermentativo pelas bactérias do intestino, que consequentemente desencadeiam o aumento da formação de gases no intestino. Este quadro promovido pelo aumento do processo fermentativo elevado, provoca alguns dos sintomas característicos da SIBO, como a dor e a distensão abdominal.


O gás metano ou hidrogênio produzidos de forma exacerbada quando há o supercrescimento bacteriano, pode ser capaz de diminuir o peristaltismo intestinal, o que pode justificar a presença de quadros de constipação.


Quando a colonização microbiana patológica ocorre, desencadeiam-se numerosos e variados distúrbios patológicos que resultam nos sinais e sintomas de SIBO. O número elevado de microrganismos pode acarretar na lesão da mucosa intestinal, comprometendo a barreira protetora e dificultando por sua vez os processos digestivos. Além disso, a desconjugação de ácidos biliar, promovida pelas bactérias, pode causar má absorção de gordura e resultar em esteatorréia, perda de peso, deficiências de vitaminas lipossolúveis (especialmente A, D e E) e osteoporose.


Um intestino saudável possui uma maior expressão das “Tight junctions”, reduzindo assim a permeabilidade intestinal. Em contrapartida, indivíduos que possuem a SIBO, possuem alta permeabilidade do intestino. Diante disso, constituintes das bactérias, como o LPS (presente na membrana das bactérias gram negativas), ao entrarem em contato com a barreira imunológica do hospedeiro, desencadeiam uma série de mecanismos inflamatórios.


Redução de FODMAPs


Os FODMAPs (Oligossacarídos, dissacarídeos, monossacarídeos e polióis, fermentáveis) são alimentos fermentados no intestino. Devido à condição de aumento de gases nos indivíduos com SIBO, diminuir o consumo destes alimentos pode ser um tratamento coadjuvante.


A redução de alimentos fermentáveis é evidente para a melhora dos sintomas e tratamento da SIBO. A alimentação deve ser baseada em uma menor concentração de fibras alimentares, açúcares e outros adoçantes que podem ser fermentados pela microbiota. Sendo assim, a manipulação dietética pode ser benéfica para aliviar os sintomas da SIBO, incluindo inchaço, flatulência e dor abdominal.


A alimentação pobre em FODMAP é provavelmente a dieta mais conhecida para SIBO, no entanto, a maioria dos dados sobre sua eficácia é baseada na síndrome do intestino irritável, que tem sobreposição clínica significativa com SIBO.


Apesar de eficazes, as dietas FODMAP podem ser complexas e difíceis de aderir é extremamente importante que seja conduzida por um profissional qualificado. A maioria dos pacientes se beneficiam da experiência profissional nas diferentes fases da dieta.


Se você possui sintomas frequentes como gases, distensão e dor abdominal, você pode ser diagnosticado com SIBO. Diante disso, faz-se fundamental a busca por um acompanhamento interdisciplinar adequado. O combate do crescimento microbiano exacerbado é extremamente importante para garantir uma boa saúde como um todo.


Referências bibliográficas

Achufusi TGO, Sharma A, Zamora EA, Manocha D. Small Intestinal Bacterial Overgrowth: Comprehensive Review of Diagnosis, Prevention, and Treatment Methods. Cureus. 2020;12(6):e8860. Published 2020 Jun 27. doi:10.7759/cureus.8860

Bushyhead, D., & Quigley, E. M. (2021). Small Intestinal Bacterial Overgrowth. Gastroenterology Clinics of North America. doi:10.1016/j.gtc.2021.02.008