Qual a relação entre a candidíase e o sistema imune?




A cândida é um fungo que possui a capacidade de não ser reconhecida pelo sistema imunológico, através da produção de algumas substâncias e também devido sua facilidade de mudar de conformação.


Ela habita normalmente nas mucosas do organismo humano como um todo, no entanto, alguns fatores podem fazer com que ela se prolifere de forma exagerada promovendo a ocorrência da candidíase. Um dos principais fatores causais para que a candidíase aconteça é a baixa imunidade, pois quando o sistema imunológico está menos eficiente, os fungos da cândida como a C. albicans e C. glabrata conseguem se “esconder” mais facilmente dos mecanismos de defesa.


Dentre os inúmeros fatores que a cândida possui para se proteger do sistema imunológico, podem ser citados: formação dos complexos de biofilmes, síntese de adesinas, produção de proteinases (SAPs) que atuam fazendo a desconjugação do fator complemento (componente do sistema imunológico), inibição de betaglucanas, que são partículas que fazem parte da estrutura dos fungos e bactérias e são usadas para estimular os receptores Toll do sistema imunológico.


A cândida é considerada um fungo com tratamento muito difícil, pois ela se camufla muito bem no ambiente que estiver, como exemplo, quando ela percebe que foi identificada pelo sistema imune, ela muda sua conformação de fungo para hifas, fazendo com que suas partículas de betaglucanas não consigam ser identificadas pelos receptores das células imunológicas, e com isso ela permanece “camuflada” e se desenvolvendo no indivíduo.


No ambiente intestinal existem 5 tipos de receptores diferentes que são capazes de identificar a presença dos fungos da cândida, eles estão presentes nas células do sistema imunológico e dos enterócitos (células intestinais), eles são:

galectina, TLR, CLR, NLR e NKp30. Quando esses receptores reconhecem os fungos presentes no ambiente, eles desencadeiam uma sinalização que pode ser pró ou anti-inflamatória dependendo se essa levedura é patogênica ou não.

Além disso, fatores como: o uso recorrente de antibióticos, corticóides, anticoncepcionais e alimentação inadequada, podem resultar em uma queda da imunidade e consequentemente em um ambiente mais favorável para a proliferação da candidata.