Prescrição de MAMPs: como fazer?


O termo MAMPs significa padrões moleculares associados a microrganismos, encontrados na parede celular de bactérias. Provavelmente você já deve ter ouvido falar que a microbiota intestinal regula o sistema imunológico inato e adaptativo. As células de defesa, como monócitos, macrófagos e natural killer exibem receptores de reconhecimento padrão (PRRs) que reconhecem esses MAMPs expressos nos microrganismos. Essa ligação ativa vias que regulam a resposta inflamatória e a memória imunológica.


Por sua vez, esses MAMPs podem ser usados como uma opção terapêutica chamada paraprobióticos ou posbioticos. Para possuir efeito na saúde do indivíduo, esses padrões moleculares precisam ser usados na sua forma ativa de lisados proteicos, obtidos por meio de cepas probióticas, que são “mortas” e seus fragmentos são capazes de ativar o sistema imunológico. Nessa forma, os MAMPs passam a se chamar MAMPs.


MAMPs e sistema imunológico

Os MAMPs são capazes de reduzir a inflamação ao diminuir os níveis de citocinas pró-inflamatórias (IL-4, IL-12, IL-5), de radicais livres e de antígenos como IgE. Além disso, esse paraprobiótico aumenta os níveis de citocinas anti-inflamatórias (IL-10). Contudo, para que esses efeitos sejam reais, é fundamental a interação entre os receptores e os MAMPs. Devido esse efeito no sistema imunológico, os MAMPs podem ser usados como adjuvante na terapia de diversas patologias e condições clínicas, dentre elas:


Artrite reumatoide

Colite ulcerativa

Síndrome do intestino irritável

Diabetes

Arterosclerose

Obesidade

Síndrome metabólica

Esteatose hepática

Asma

Redução do colesterol

Redução de doenças alérgicas mediadas por IgE.

Redução de alergias alimentares


Prescrição

Nós já temos no mercado diversas marcas e formas de MAMPs disponíveis. Como exemplos podemos citar: MAMPs L. acidophilus com efeito anti-inflamatório; MAMPs L. rhamnosus como antialérgico e anti-inflamatório; MAMPs B. lactis para aumento da imunidade; MAMPs L. helveticus para reduzir o risco de infecções.


A seguir temos algumas fórmulas propostas pela empresa LEMMA:

Fórmula para doenças inflamatórias:

Bio-MAMPs L. acidophilus 12,5 – 100mg

Bio-MAMPs L. rhamnosus 12,5 – 100mg

Bio-MAMPs L. gasseri 12,5 – 100mg

Lactobacillus crispatus 1 bilhão UFC

GliSODin® 100mg

Fórmula para imunoestimulação:

Bio-MAMPs L. rhamnosus 12,5 – 100mg

Bio-MAMPs L. helveticus 12,5 – 100mg

Bio-MAMPs L. gasseri 12,5 – 100mg

Bio-MAMPs B. lactis 12,5 – 100mg

Lactococcus lactis 1 bilhão UFC

Saccharomyces boulardii 250mg

GliSODin® 100mg


Referências:

NEGI, Shikha et al. Potential Role of Gut Microbiota in Induction and Regulation of Innate Immune Memory. Frontiers In Immunology, [S.L.], v. 10, 25 out. 2019. Frontiers Media SA. http://dx.doi.org/10.3389/fimmu.2019.02441.

WANG, Jingwen et al. Peptidoglycan recognition proteins in hematophagous arthropods. Developmental & Comparative Immunology, [S.L.], v. 83, p. 89-95, jun. 2018. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.dci.2017.12.017.

https://dermomanipulacoes.vteximg.com.br/arquivos/Bio_MAMPs.pdf