Motivos para incluir frutas, legumes, verduras e chás na dieta!


Os polifenóis são compostos naturais presentes nos alimentos, incluindo frutas, verduras, cereais, café, chá e vinho. Esses, são classificados em flavonóides e não flavonóides. Por sua vez, os flavonóides também são classificados em subclasses de acordo com a estrutura: flavanonas, flavonas, diidroflavonóis, flavonóis, flavan-3-ols ou flavanóis, antocianidinas, isoflavonas e proantocianidina.


Provavelmente você já deve ter ouvido falar dos efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios dos polifenóis, reduzindo os níveis de radicais livres e consequentemente o estresse oxidativo, protegendo o organismo contra diversas patologias, principalmente durante o envelhecimento. Contudo, o efeito destes sobre a microbiota intestinal não é muito discutido


Os polifenóis são recebidos pelo organismo como xenobióticos e portanto possuem a biodisponibilidade reduzida, quando comparada à macro e micronutrientes. Além disso, o grau de polimerização e a complexidade da estrutura dificultam a absorção no intestino delgado.


Devido à má absorção, esse composto fica por mais tempo no intestino, promovendo assim um efeito benéfico, afetando a microbiota intestinal. Estimativas sugerem que cerca de 5-10% é absorvida, enquanto o restante se acumula, atingindo os microorganismos presentes na flora intestinal, que são capazes de transformar os polifenóis em compostos bioativos, influenciando na ecologia intestinal.


Portanto, as fontes de polifenóis podem beneficiar a microbiota intestinal e consequentemente a saúde humana, exibindo efeitos semelhantes aos prebióticos e antimicrobianos. Esses efeitos irão variar entre bactérias gram-positivas e gram-negativas, pois bactérias gram-negativas são mais resistentes a polifenóis devido às diferenças encontradas na sua parede.


Microbiota intestinal saudável e impacto na saúde


A colonização da microbiota intestinal influencia diretamente na saúde do hospedeiro. O equilíbrio da mesa pode ser garantido por meio de uma alimentação saudável, e os polifenóis estão presentes em diversos alimentos in natura.


Algumas patologias estão ligadas com o desequilíbrio dessa comunidade bacteriana, como: enterocolite necrosante, doenças inflamatórias intestinais, obesidade, diabetes, síndrome metabólica, candidíase, depressão, gases, naúseas, vômitos, distensão abdominal e doenças neurológicas, como a esclerose múltipla.


Mecanismos de ação


Os polifenóis são capazes de se ligar às membranas celulares bacterianas, alterando a função da membrana (diminuindo a permeabilidade intestinal) e inibindo o crescimento celular (por mecanismos de competição por sítios de ligação e nutrientes). Esse mecanismo de ação explica seu efeito antimicrobiano, diminuindo a proliferação de microorganismos patogênicos. Além disso, essa alteração na membrana regula positivamente as proteínas relacionadas aos mecanismos que protegem a célula.


Um exemplo é a inibição da toxina VacA, fator de virulência encontrado na Helicobacter pylori, bactéria amplamente encontrada em indivíduos com gastrite. Nesse caso, os polifenóis afetam a proliferação por danificar a membrana dessa bactéria.


Com relação a composição da microbiota, os polifenóis podem aumentar as concentrações de bactérias benéficas, como Akkermansia muciniphila, Faecalibacterium, Roseburia e algumas espécies de Firmicutes. Junto a isso, esse composto também diminui a concentração de bactérias patogênicas, reduzindo e prevenindo a disbiose intestinal.


Essas ações influenciam no controle glicêmico, em doenças inflamatórias e cardiovasculares, na obesidade e na síndrome metabólica. Isso é motivo suficiente para você inserir mais frutas e alimentos in natura na sua dieta, não acha? Dentre as frutas fontes temos: morango, uva, maçã, limão, açaí, tâmara, cereja, laranja, amora e ameixa.


Referências:


Kumar Singh, Amit, et al. “Beneficial Effects of Dietary Polyphenols on Gut Microbiota and Strategies to Improve Delivery Efficiency”. Nutrients, vol. 11, no 9, setembro de 2019, p. 2216. PubMed Central, https://doi.org/10.3390/nu11092216.


Sorrenti, Vincenzo, et al. “Cocoa Polyphenols and Gut Microbiota Interplay: Bioavailability, Prebiotic Effect, and Impact on Human Health”. Nutrients, vol. 12, no 7, junho de 2020, p. 1908. PubMed Central, https://doi.org/10.3390/nu12071908.


Cardona, Fernando, et al. “Benefits of Polyphenols on Gut Microbiota and Implications in Human Health”. The Journal of Nutritional Biochemistry, vol. 24, no 8, agosto de 2013, p. 1415–22. ScienceDirect, https://doi.org/10.1016/j.jnutbio.2013.05.001.