Dieta sem glúten e seus benefícios para a microbiota

O glúten é uma proteína presente nos grãos como trigo, cevada e centeio. A doença celíaca é considerada uma doença auto imune na qual o glúten gera inflamação no intestino.



Existem também a sensibilidade não celíaca ao glúten, ou seja, indivíduos que não tem a doença celíaca, mas tem uma sensibilidade ao glúten. Assim, foi reconhecida como uma forma de tratamento para essa doença, a dieta sem glúten, já que essa mostrou-se capaz de melhorar a inflamação, e recuperar a barreira intestinal dos indivíduos celíacos ou sensíveis.


Sabe-se que a alimentação é capaz de influenciar diretamente na composição da microbiota, assim quando indivíduos não celíacos ou sensíveis ao glúten se adaptam a uma dieta sem glúten, ocorre a diminuição das concentrações de bactérias benéficas, caso não tenha o cuidado de ingerir fibras na dieta.


estudos mostram que, os indivíduos que fazem uma dieta glúten-free, tendem a ingerir menor quantidade de fibras e pode acarretar na diminuição de bactérias benéficas da microbiota, como Bifidobactéria e Roseburia, e aumento das concentrações de bactérias patogênicas como Escherichia coli e Enterobacteriaceae.


Outro estudo realizou uma dieta sem glúten em pacientes celíacos, e ainda assim, percebeu-se a diminuição das concentrações de bactérias benéficas, como Bifidobactérias, e o aumento de bactérias com potencial patogênico.


Como consequência da diminuição das bactérias benéficas, ocorre também diminuição da produção de ácidos graxos de cadeia curta, como butirato e propionato.


Consequentemente diminuem também todos os benefícios que os ácidos graxos de cadeia curta exercem no organismo e ainda, mostra-se prejuízo do sistema imune do hospedeiro.


E o aumento de bactérias não benéficas a longo prazo pode impactar no equilíbrio da microbiota e saúde da mucosa intestinal dos indivíduos. Assim, pode-se perceber que muitas vezes não basta só adotar uma dieta sem glúten, pois pode ocorrer modificações na microbiota intestinal, que nem sempre são positivas. Assim é muito importante que ao retirar o glúten da alimentação verifique se a ingestão de fibras está em quantidades adequadas