Má digestão, náuseas e vômito: chá de funcho pode ser um santo remédio!



Foeniculum vulgare é uma planta popularmente conhecida como funcho, membro da família Apiaceae. Essa erva é perene, vertical e ramificada, com folhagem semelhante à um cabelo e que cresce até 40 cm de comprimento. Suas flores são douradas e brilhantes, enquanto suas sementes são amarelo-esverdeadas.


Essa planta é uma das maiores fontes vegetais de potássio, sódio, fósforo e cálcio e tem sido amplamente utilizada na medicina tradicional para diversas doenças, como por exemplo dores abdominais, artrite, cólica, conjuntivite, constipação, gastrite, insônia e flatulência, dependo da parte e do tipo de preparação. Para má digestão, náuseas e vômitos, o chá de funcho pode ser considerado um santo remédio.

Chá de funcho e sintomas gastrointestinais.


A dificuldade de digestão está associada à diminuição ou ineficiência de enzimas digestivas, causando desconforto para o indivíduo. O chá de funcho é uma alternativa para melhorar a secreção dessas enzimas, podendo ser consumido antes da refeição para melhorar a digestão e diminuir a quantidade de gases formados. Além disso, essa planta possui enetol na sua composição, o que auxilia na absorção dos nutrientes e diminui a inflamação no trato gastrointestinal.


Além de conter enetol, o funcho também possui estragol e alcânfora, o que o torna um importante antiinflamatório, antiespasmódico e antiemético. Ou seja, essa planta é utilizada para tratar náuseas e vômitos, além de cólicas e gases, sendo assim fundamental para o processo de digestão, para os sintomas de TPM, indivíduos com refluxo, intoxicação alimentar e até mesmo em dias de famosa ressaca.


Contraindicação

Não é recomendado para gestantes.


Como fazer chá de funcho


Ingredientes

200 ml de água fervente

1 colher de chá de sementes de funcho ou 5g de folhas verdes de funcho.


Modo de preparo: Misture o funcho na água, misture e deixe descansar por 10 minutos. Coe e tome de 1 a 2 vezes ao dia.



Saiba mais sobre plantas medicinais com o meu Guia!



Referências: BADGUJAR, Shamkant B. et al. Foeniculum vulgareMill: a review of its botany, phytochemistry, pharmacology, contemporary application, and toxicology. Biomed Research International, [S.L.], v. 2014, p. 1-32, 2014. Hindawi Limited. http://dx.doi.org/10.1155/2014/842674.

MAHBOUBI, Mohaddese et al. Foeniculum vulgareas Valuable Plant in Management of Women's Health. Journal Of Menopausal Medicine, [S.L.], v. 25, n. 1, p. 1, 2019. The Korean Society of Menopause. http://dx.doi.org/10.6118/jmm.2019.25.1.1.

SAYAH, Karima et al. Comparative Study of Leaf and Rootstock Aqueous Extracts of Foeniculum vulgare on Chemical Profile and In Vitro Antioxidant and Antihyperglycemic Activities. Advances In Pharmacological And Pharmaceutical Sciences, [S.L.], v. 2020, p. 1-9, 1 set. 2020. Hindawi Limited. http://dx.doi.org/10.1155/2020/8852570.