Atletas precisam treinar o intestino! O que isso significa?


O fornecimento de fluidos exógenos e fontes de carboidratos desempenham papel importante para o desempenho, especialmente durante o exercício prolongado. A hidratação durante a atividade física é fundamental e pode provocar desconfortos gastrointestinais. Um sistema gastrointestinal desequilibrado e com função prejudicada, compromete a absorção de nutrientes, além de favorecer o aparecimento de sintomas indesejados.


Claramente, o trato intestinal é altamente adaptável, e foi sugerido que o treinamento direcionado do trato intestinal pode melhorar a entrega de nutrientes durante o exercício e, ao mesmo tempo, diminuir a recorrência de sintomas. Para que isto aconteça, estudos propõem que o “treinamento do intestino” é uma estratégia pertinente na vida dos atletas, em geral, especialmente de alto rendimento.


O esvaziamento gástrico é um passo importante para a entrega de carboidratos exógenos e fluidos para o músculo em atividade. Curiosamente, os atletas reclamam do acúmulo de bebidas no estômago e sensação de inchaço, especialmente durante exercícios de alta intensidade ou muito prolongados em condições de calor.


Evidências mostram que o estômago pode se adaptar à ingestão de grandes volumes de líquido, sólidos ou combinações. Diante disso, estimular esta capacidade de adaptação é relevante para atletas apresentarem menor desconforto e sensação de empachamento durante a atividade.


Uma vez que ocorre o esvaziamento gástrico, a maioria dos líquidos e açúcares são absorvidos no duodeno e jejuno. A glicose e a galactose são transportadas através da membrana dos enterócitos pelo transportador de glicose dependente de sódio (SGLT)-1.


A aplicação de uma dieta rica em carboidratos em atletas durante 2 semanas é capaz de aumentar significativamente o conteúdo de transportadores de glicose dependentes dos íons de sódio. Sendo assim, a entrega dos carboidratos para os músculos é mais eficiente.


Portanto, atletas em restrição de carboidratos podem apresentar uma menor capacidade de absorver carboidratos durante o exercício e competições. Consequentemente, o desempenho pode ser comprometido.


Diante da hipótese do intestino ser adaptável, presume-se eficiente incluir o treinamento com alta ingestão de carboidratos regularmente durante o exercício. Com essas estratégias, o intestino pode ser treinado para absorver e oxidar mais carboidratos, o que, por sua vez, pode resultar em menor desconforto e melhor desempenho.


Como treinar o intestino?

  • Treinar com grandes volumes de líquidos.

  • Treinar imediatamente depois da refeição.

  • Treinar com ingestão relativamente alta durante o exercício.

  • Ingestão aumentada de carboidratos na dieta.

Efeitos fisiológicos

  • Redução do inchaço e sensação de empachamento durante o exercício.

  • Aumento do esvaziamento gástrico.

  • Aumento da capacidade de absorção de carboidratos.

  • Aumento da entrega de carboidratos para o músculo.