• Karina Al Assal

Ashwagandha e performance mental

A ashwagandha ou também chamada Withania somnifera L., é um fitoterápico que possui uma rica gama de fitoconstituintes, como exemplo a Withaferin A, lactonas, esteróides, alcalóides e alguns outros compostos. Ela é muito usada no sistema ayurvédico de medicina e pode ser classificada como um fitoterápico adaptógeno.



A raiz de Ashwagandha contém muitas propriedades, tais como antioxidante, neuroprotetor, anti-inflamatório, ansiolítico, antidepressivo e imunomodulador, enquanto os compostos derivados dela demonstraram potencial efeito como inibidores da acetilcolinesterase.


Ela pertence a um subgrupo de Medhyarasayanas que se refere à memória e capacidade intelectual, sendo esta uma de suas aplicações. Auxiliando no tratamento do déficit de memória, aumentando de forma imediata a memória geral, a atenção e a velocidade do processamento de informações. Além de ser utilizada no tratamento da esquizofrenia, transtorno bipolar e distúrbios neuropsiquiátricos.


De acordo com estudos científicos, a ashwagandha tem mostrado um papel potencial como nootrópico, promovendo a função cognitiva e melhorando a memória devido à sua atividade colinomimética.


A neuro inflamação e a disfunção imunológica estão implicadas na patogênese de diversas doenças neuropsiquiátricas. E extratos de W. somnifera demonstraram inibir de forma significativa a enzima cicloxigenases-2 e suprimir a α2-macroglobulina, resultando na atenuação do processo inflamatório sistêmico. Esse efeito pode ser atribuído ao rico conteúdo de lactonas esteróides, contidos na W. somnifera.


A Ashwagandha também estimula a modulação dos componentes protetores contra o estresse oxidativo no cérebro, como a superóxido dismutase (SOD), catalase e antioxidantes não enzimáticos como glutationa (GSH). Ainda, seu extrato e raízes induzem o crescimento do axônio e dendrito dos neurônios, propondo um possível efeito na regeneração neuronal.


Além do mais, a Withania somniferai L. também é capaz de exercer efeitos positivos sobre o sistema reprodutivo de homens. O mecanismo de ação envolvido, está relacionado com o mecanismo oxidativo, contemplando a modulação da atividade antioxidante, juntamente com a regulação de enzimas antioxidantes e os cofatores necessários para o funcionamento adequado das enzimas.

  • instagram
  • facebook
  • youtube
  • podcast
  • linkedin
whats-03.png

whatsapp

©2020 KARINA AL ASSAL - CRN 17275

  • instagram
  • youtube
  • podcast
logo karina.png