Ação do resveratrol para a saúde da pele


O resveratrol é um polifenol amplamente encontrado na uva, frutas vermelhas e no vinho tinto. Sua utilização normalmente está associada à prevenção de doenças cardiovasculares, contudo, seu uso no campo da cosmetologia e dermatologia vêm crescendo nos últimos anos.


Esse fato ocorre pelas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias. Esse polifenol estimula a proliferação de fibroblastos, contribuindo para o aumento das concentrações de colágeno, melhorando o aspecto e firmeza da pele.


Para entendermos melhor a ação do resveratrol na saúde da pele, é importante falar sobre o estresse oxidativo. Em condições normais, nosso organismo produz oxigênio reativo, que é equilibrado pela produção de enzimas antioxidantes, como a superóxido dismutase e glutationa peroxidase.


Em situações de estresse, esse desequilíbrio é rompido, e as espécies reativas de oxigênio sobrecarregam as células e levam a mudanças no comportamento celular. Esse estresse oxidativo na pele pode ser desencadeado pela poluição, fumaça do cigarro e pela exposição à radiação ultravioleta (UV).


Sendo assim, a exposição à radiação UV é um dos fatores associados ao desenvolvimento de doenças de pele, incluindo o câncer e o próprio envelhecimento.


Nesse contexto, a propriedade antioxidante do resveratrol protege as células contra os danos causados pelo estresse oxidativo e da radiação ultravioleta na pele. Essa função é importante tanto para retardar o processo de fotoenvelhecimento como também para reduzir o risco do desenvolvimento de câncer de pele.


Outra ação do resveratrol está associada ao melasma, condição caracterizada pelo surgimento de manchas escuras na pele, principalmente na região da face. Esse polifenol atua tanto na diminuição da produção de melanina quanto na redução da hiperpigmentação causada pela radiação UV. a Proteção contra a luz visível e a luz artificial também reduz o surgimento de manchas na pele.


Independente da ação do resveratrol sobre a saúde da pele, os demais cuidados não devem ser esquecidos. A utilização de protetor solar com FPS 30 ou mais deve ser regular.


Referências

Ndiaye, Mary, et al. “O resveratrol antioxidante da uva para doenças de pele: promessa, perspectivas e desafios”. Arquivos de bioquímica e biofísica , vol. 508, n o 2,abril de 2011, p. 164–70. PubMed Central , https://doi.org/10.1016/j.abb.2010.12.030.

Ratz-Łyko, Anna, e Jacek Arct. “Resveratrol como ingrediente ativo para aplicações cosméticas e dermatológicas: uma revisão”. Journal of Cosmetic and Laser Therapy: Publicação oficial da European Society for Laser Dermatology , vol. 21, n o 2, 2019, p. 84–90. PubMed , https://doi.org/10.1080/14764172.2018.1469767.