5 alimentos para você evitar se estiver com candidíase



Os hábitos alimentares dos indivíduos que possuem candidíase geralmente são irregulares, contendo grande quantidade de alimentos com alto teor de açúcares, frutose e carboidratos simples, além de baixa quantidade de vitaminas, fibras e antioxidantes. Ainda, a alta ingestão de alimentos fast food pode estimular a piora do tratamento da candidíase, pois eles estimulam a redução dos fungos Saccharomyces que é uma espécie que desempenha diversas funções benéficas para a saúde intestinal.


A dieta é considerada uma das formas mais eficaz para modular a microbiota presente no intestino, devido a isso algumas modificações dietéticas podem auxiliar o tratamento da candidíase, como por exemplo: evitar o consumo excessivo de álcool, gordura saturada, adoçantes, carboidratos refinados e leite em um primeiro momento. Além disso, também deve-se ter atenção quanto à ingestão de alimentos que possam ser infectados com fungos ou aflotoxinas, como por exemplo: castanha do Pará, amendoim e amêndoas.


A alta ingestão de carboidratos refinados e açúcares, podem favorecer muito o ambiente intestinal para o desenvolvimento dos fungos causadores da candidíase. Isso acontece porque esses fungos usam a glicose como fonte de energia e para adquirir a molécula de carbono que é essencial para o metabolismo deles. No entanto, devido a alta ingestão desses nutrientes pode ser aumentada a quantidade de moléculas de acetaldeído no organismo desse indivíduo, afetando de forma negativa a saúde dele, visto que, são componentes tóxicos.


Ainda, algumas pessoas apresentam um tipo de polimorfismo que está relacionado com a degradação da molécula de álcool pelo fígado, para que ela seja excretada do organismo como uma molécula menos tóxica. Sendo assim, se esses indivíduos tiverem uma alta ingestão de bebidas alcoólicas, eles também podem promover o aumento do acetaldeído e piorar o quadro de candidíase consideravelmente.


Vários danos à membrana intestinal são ocasionados pela candida, sendo assim, o consumo de alimentos ricos em fibras, vitaminas e antioxidantes pode estimular a recuperação da permeabilidade intestinal e a integridade da membrana do intestino, além de otimizar de forma muito significativa o bom funcionamento do sistema imunológico, a diminuição do processo inflamatório e a redução de microrganismos patogênicos.