Você sabe preparar os seus chás? Decocção ou infusão: veja as diferenças.


Os chás tem se tornado uma bebida cada vez mais popular entre os brasileiros. Apesar de ser, tradicionalmente, uma opção para ser tomada quente, os chás gelados fazem muito sucesso entre aqueles que querem se refrescar bebendo com algum sabor, e de quebra ainda acabam ofertando uma série de compostos bioativos que ajudam a fortalecer a saúde. Além disso, já é muito comum o uso de chás como uma terapia alternativa ou adjuvante, reduzindo - ou até mesmo cessando - a necessidade de tomar remédios.

Cada chá possui uma propriedade única e combiná-los é uma excelente forma de potencializar suas ações. É sempre recomendado que se utilize as ervas ou raízes in natura para fazer a preparação,evitando os sachês ou, se for o caso, optar por aqueles que não possuem adoçantes, conservantes ou qualquer outro aditivo químico em excesso na sua composição. Além disso, é importante variar os tipos consumidos e evitar sobrecarregar o organismo. Atenção especial também para chás que prometem milagres: essa bebida dá um toque especial e potencializa muitos dos resultados que temos com uma rotina de alimentação saudável, mas nenhum chá sozinho é capaz de te emagrecer ou detoxificar seu corpo, e não devem ser utilizados com esse fim.


Dito tudo isso, vamos ao ponto principal da postagem de hoje: você sabe preparar seu chá da maneira mais adequada? Provavelmente já tenha ouvido falar de diferentes métodos, e pode ser que tenha escolhido um que lhe pareceu mais apropriado - ou fácil - e prepara todos os seus chás assim. Mas dependendo da parte da planta utilizada para fazer o chá, varia a maneira como ele deve ser feito.


O primeiro método é o da infusão, que consiste em colocar a matéria prima do chá em água quente (nunca fervente!), deixar ali por alguns minutos - preferencialmente tampado - e depois coar (caso não seja usado um infusor). Primeiro de tudo, sobre a água fervente: a elevada temperatura da água pode, literalmente, queimar a planta que você está usando para fazer seu chá, ou seja, alguns compostos ali presentes (e que são responsáveis pelo efeito do chá no organismo) podem ser destruídos ou desativados. Logo, se você for preparar essa bebida através da infusão, se distrair um pouco e deixar a água ferver, deixe-a esfriar um pouco antes de colocar a erva utilizada.


Mas se a parte da planta utilizada é importante para determinar o método, quais partes devem ser usadas na infusão? As partes mais sensíveis, como folhas e galhos finos. Chás como de camomila, lavanda, melissa, rosas e o funcho podem ser feitas dessa maneira.


A decocção, por sua vez, deve ser utilizada para preparar chás que são feitos com as partes mais resistentes da planta, como raízes e galhos mais densos. Para esse método, é necessário ferver a água, emergir a matéria prima do chá, abaixar o fogo e deixar ali, em fogo baixo, por alguns minutos. Depois é preciso coar e esperar esfriar um pouco antes de consumir. O chá de gengibre, canela, hibisco e cavalinha, por exemplo, devem ser preparados dessa maneira.