Eixo intestino-cérebro e o uso de canabidiol: o que sabemos?


O canabidiol é um canabinóide não psicoativo da planta Cannabis sativa que tem sido estudado para uso no manejo de algumas condições por ser uma opção natural e aparentemente segura para a saúde. O efeito em convulsões associadas a algumas síndromes específicas já foi comprovado e por isso o canabidiol purificado já foi patenteado e autorizado em alguns países para uso nessas condições. Entre outros possíveis efeitos benéficos atribuídos ao seu uso estão alguns mecanismos envolvidos no equilíbrio do eixo intestino-cérebro.


As duas doenças inflamatórias intestinais mais comuns são a Colite Ulcerativa e a Doença de Crohn: crônicas, com crises recorrentes e caracterizadas pela forte inflamação na região do cólon, a porção final do intestino. Mas além dessas duas, existem outras condições que acometem a região intestinal e tem um forte caráter inflamatório, trazendo prejuízos diversos não só para essa região mas para a saúde como um todo, já que o suprimento de nutrientes para o organismo fica prejudicado quando o intestino não funciona adequadamente. O cérebro, de maneira particular, é fortemente afetado pois existe um eixo de comunicação bidirecional e tudo que acontece no intestino influencia o funcionamento cerebral e vice-versa.


Nesse cenário, encontrar opções de manejo para a inflamação que sejam efetivas, seguras, com poucos efeitos colaterais é urgente. Em uma sociedade que se movimenta no sentido de preferir opções mais naturais de tratamento, levar isso em conta também é importante na hora de propor novas formas de terapias. É justamente por isso que os estudos com canabidiol ganham espaço quando o assunto é intestino. Como todo composto que começa a ser investigado, as pesquisas começam em animais (o que chamamos de estudos pré-clínicos) e os possíveis mecanismos de ação são identificados. Não podemos simplesmente extrapolar os resultados para humanos, pois a nossa fisiologia é muito diferente da dos ratos, por exemplo. Mas esses primeiros estudos servem como o pontapé inicial para os testes em humanos, os estudos clínicos.


Hoje em dia já temos esse tipo de estudo mostrando um potencial de atenuação da inflamação a partir do uso de canabidiol em condições de colite, síndrome do intestino irritável, doença de Crohn e doença celíaca, todas marcadas por um forte componente inflamatório. Essa redução na inflamação tem sido associada com a melhora na percepção subjetiva dos sintomas e aumento da qualidade de vida dos pacientes, mas o canabidiol ainda não foi capaz de, por exemplo, causar remissão. Por isso, novas formas, doses e até combinações com outras substâncias anti inflamatórias, como o ômega 3, têm sido propostas.


Todas essas condições intestinais inflamatórias acabam, consequentemente, acarretando aumento da permeabilidade intestinal e mudanças na microbiota que ali habita, causando disbiose. O canabidiol parece também atuar sobre esses dois fatores, aumentando a integridade do intestino e causando alterações independentes na composição dos microrganismos intestinais. Um exemplo de observação já feita com o uso dessa substância é o aumento de Akkermansia muciniphila, uma espécie bacteriana associada a um perfil mais saudável de microbiota.


Além disso, o canabidiol também possui efeitos a nível cerebral, reduzindo sentimentos de ansiedade e depressão, o que reflete positivamente na saúde do intestino (lembra da “conversa” entre esses dois órgãos?).


Ainda precisamos entender melhor as doses e os padrões de uso adequados para colher os potenciais positivos do canabidiol no intestino com o mínimo de efeitos colaterais possíveis, o que requer mais estudos e de forma mais controlada. Porém, não podemos ignorar os resultados promissores e esperar que a ciência nos presenteie com mais uma possibilidade de manejo para a saúde do eixo intestino-cérebro.



REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Karoly, H. C., Mueller, R. L., Bidwell, L. C., & Hutchison, K. E. (2019). Cannabinoids and the Microbiota–Gut–Brain Axis: Emerging Effects of Cannabidiol and Potential Applications to Alcohol Use Disorders. Alcoholism: Clinical and Experimental Research, 44(2), 340–353. doi:10.1111/acer.14256


Silvestri C, Pagano E, Lacroix S, Venneri T, Cristiano C, Calignano A, Parisi OA, Izzo AA, Di Marzo V and Borrelli F (2020) Fish Oil, Cannabidiol and the Gut Microbiota: An Investigation in a Murine Model of Colitis. Front. Pharmacol. 11:585096. doi: 10.3389/fphar.2020.585096