Como é a relação entre a candidíase de repetição e o intestino?



A microbiota intestinal é composta por diversos microrganismos que quando estão em quantidades adequadas promovem efeitos muito benéficos para a saúde do indivíduo, no entanto, quando ocorre alguma alteração na proporção deles, como o aumento dos fungos Candida albicans por exemplo, serão desencadeadas diversas alterações intestinais que resultam em prejuízos para o organismo como um todo, incluindo o trato urogenital das mulheres, nesse exemplo, facilitando a ocorrência da candidíase de repetição.


A Candidíase de repetição é considerada uma das alterações vaginais mais frequentes em mulheres que estão em idade reprodutiva e ela é caracterizada como uma infecção fúngica. Além disso, as cepas mais encontradas nesses casos são compostas pelos fungos da Candida albicans, estando presentes em cerca de 90% dos casos.


Estudos demonstram que a disbiose intestinal, especialmente a provocada pela alta quantidade de fungos no ambiente intestinal, pode ser um fator muito importante para ocasionar a candidíase de repetição, devido a proximidade do reto intestinal e a vagina, fazendo com que o fungo da cândida consiga migrar para a vagina e os episódios de candidíase sejam muito mais recorrentes. A partir desse contexto é possível compreender a alta relação que existe entre a disbiose intestinal e os quadros de candidíase, por isso o controle da disbiose intestinal se faz tão importante para a saúde de forma geral.


Existem diversos fatores que podem facilitar a ocorrência da disbiose intestinal, dentre eles estão incluídos: uso frequente de antibióticos, corticóides, anticoncepcionais e antiácidos; alto consumo de álcool, baixa ingestão de fibras; alta ingestão de carboidratos simples e açúcares refinados, visto que são as principais fontes de energia para o desenvolvimento da cândida; processo inflamatório e baixa imunidade. Mas, vale ressaltar que a ocorrência da candidíase de repetição pode ser favorecida através da utilização de roupas muito apertadas, suadas ou molhadas.


Com isso, estudos têm demonstrado que a ingestão alimentar balanceada, com consumo adequado de carboidratos e fibras, além da utilização de probióticos podem auxiliar de forma muito efetiva o tratamento da candidíase.