Enzimas digestivas podem ajudar a sua saúde intestinal


As enzimas são proteínas que possuem função de degradar os alimentos para que elas possam absorvidas pelo intestino. Elas são capazes de quebrar as moléculas dos alimentos em substâncias menores e mais simples, facilitando assim que elas sejam fornecidas para o organismo e exerçam suas devidas funções.


A deficiência de enzimas pode ser a causa de diversos sintomas gastrointestinais, como dor, distensão abdominal, diarreia e sensação de empachamento. Os restos dos alimentos presentes no intestino provenientes da má digestão podem ser metabolizados pela microbiota presente e desencadear desequilíbrios.


Quando utilizar enzimas?

A prescrição enzimática deve ser individualizada e se relacionada com as possíveis dificuldade digestivas apresentadas por cada indivíduo. É necessário avaliar os sinais e sintomas para conseguir avaliar a necessidade da suplementação de enzimas digestivas.


Pacientes com a digestão mais lenta das proteínas, que se sentem empachados após o consumo de carnes, por exemplo, a prescrição de enzimas como proteases pode ser recomendada.


Já aqueles pacientes que não toleram bem a ingestão de alimentos fermentáveis, presentes no grupo de alimentos ricos em FODMAPs, pode ser beneficiado com enzimas que quebram carboidratos, como alfa amilase e alfa galactosidase


A digestão de gorduras também pode estar comprometida, por exemplo quando há presença de gordura nas fezes, as lipases podem ser interessantes.


A prescrição da enzima lactase é muito comum em pacientes intolerantes à lactose, esta conduta é um excelente aliado para amenizar os sintomas apresentados em pacientes com esta deficiência enzimática. Vale ressaltar que o uso deve ser pontual e não diário.


O uso das enzimas, não exclui o cuidado diário com a alimentação. Ela só deve ser usada de forma constante em casos de deficiência enzimática. Uma alimentação desequilibrada pode comprometer o estado inflamatório do intestino. Diante disso, a eficiência do funcionamento e o uso das enzimas pode ser recomendado. No entanto é extremamente importante enfatizar que o uso das enzimas não diminui a necessidade de mudança do estilo e alimentação em prol da saúde intestinal.


Embora seja específica, em muitos dos casos pode ser recomendado um pool de enzimas, que por sua vez irá facilitar no processo digestivo como um todo. Principalmente, em pacientes muito sintomáticos e com condições inflamatórias no intestino.


Conheça algumas das enzimas digestivas:

Alfagalactosidase: Quebra de oligossacarídeos e polissacarídeos.

Amilase: Age na quebra do carboidrato, sua ação começa na boca.

Glicoamilase: Envolvida com a quebra do amido.

Bromelina: Enzima presente no abacaxi, que auxilia na quebra das proteínas.

Lactase: Auxilia a digestão do carboidrato do leite, a lactose.

Lipase: Atua na digestão de gorduras, com os ácidos graxos.

Maltase: Responsável pela quebra da maltose.

Pectinase: Atua na digestão na pectina, fibra solúvel presente na predominantemente na parede celular dos vegetais.

Pepsina: Atua na quebra das proteínas.

Protease: Exercem a quebra das proteínas, para a liberação de peptídeos e aminoácidos.

Peptidases: Quebram os peptídeos em aminoácidos.