Conheça as diferenças entre a SII, a SIBO e a SIFO

Os distúrbios gastrointestinais são doenças que afetam o sistema digestório e estão acometendo cada vez mais indivíduos pelo mundo todo. Eles provocam sintomas muito semelhantes, mas se tratam de são condições clínicas diferente, como exemplo é possível citar a síndrome do intestino irritável (SII), supercrescimento bacteriano no intestino delgado (SIBO) e supercrescimento fúngico no intestino delgado (SIFO).



Os sintomas provocados por essas síndromes acometem a região intestinal e por isso muitas vezes dificultam o diagnóstico delas. Como exemplo dos sintomas mais recorrentes é possível citar a diarreia, constipação, dor e distensão abdominal, estresse, flatulência e alterações na motilidade intestinal.


Esses três distúrbios intestinais apesar de apresentarem sintomas semelhantes eles são condições diferentes, pois a SII está mais atrelada com as alterações emocionais e o eixo intestino-cérebro, enquanto que a SIBO e SIFO se referem ao alto desenvolvimento de microrganismos na região do intestino delgado, na qual a SIBO está relacionada com as bactérias e a SIFO com os fungos.


A disbiose intestinal se trata do desequilíbrio que ocorre entre a quantidade de microrganismos presentes na microbiota do intestino, e esse fator possui forte relação com a ocorrência da SII, SIBO e SIFO. Além disso, estudos apontam que esses distúrbios podem ser fator causal um para o outro, como exemplo, as alterações provocadas no intestino pela SII podem contribuir para o desenvolvimento de SIBO, que por sua vez apresenta baixa quantidade de bactérias que produzem substâncias com ação antifúngica, com isso, o desenvolvimento de SIFO é facilitado.


Dentre os distúrbios citados, a SII a síndrome que ainda não possui uma patologia em si que seja diagnosticada como causa da doença, mas a literatura comenta que os fatores emocionais podem ser fortes causadores da doença devido a sua interação com o eixo intestino-cérebro.

Além disso, é de suma importância que cada vez mais a população tenha conhecimento sobre essas alterações intestinais, pois elas podem resultar em inúmeros malefícios para o metabolismo humano, dos quais estão incluídos a inflamação sistêmica, deficiência de nutrientes e dores em diversos locais do corpo.